24 julho 2011

De filhos para Pai

A você, que nos deu a vida e nos ensinou a vivê-la com dignidade, não bastaria um obrigado. A você, que ilumina os caminhos obscuros com afeto e dedicação para que os trilhássemos sem medo e cheios de esperanças, não bastaria um muito obrigado. A você, que se doou inteiro e renunciou aos seus sonhos, para que, muitas vezes, pudéssemos realizar os nossos. Pela longa espera e compreensão durante nossas longas viagens, não bastaria um muitíssimo obrigado. A você, pai por natureza, por opção e amor, não bastaria dizer, que não temos palavras para agradecer tudo isso. Mas é o que nos acontece agora, quando procuramos arduamente uma forma verbal de exprimir uma emoção ímpar. Uma emoção que jamais seria traduzida por palavras.
Amamos você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! Deixe aqui sua opinião.

Postar um comentário